Carreira: Desvendamos a Fórmula para o Sucesso

Assim como 1 + 1 = 2, as oportunidades só surgem para quem sabe o que quer! Mas agora que a fórmula do sucesso foi descoberta, você só precisa treinar!

Confira:

Sempre fui uma garota sonhadora e sempre soube onde queria chegar. Trilhei meu caminho e o mais importante: sempre acreditei profundamente em meus sonhos! Com uma bagagem de mais de 10 anos no mundo corporativo e com praticamente três anos de empreendedorismo, cheguei a algumas conclusões interessantes sobre carreira:

  • Paciência e planejamento são fundamentais para se construir uma carreira sólida, com os devidos reconhecimentos. Não existe milagre ou sorte – se almeja uma conquista profissional sustentável, trace metas e tenha paciência para amadurecer cada etapa de nossa evolução.
  • Se você quer chegar ao topo, aposte todas suas fichas em autoconhecimento – essa jornada vai ensinar muito, fazendo você amadurecer profissionalmente e também como pessoa. Isso é um presente! Lidar com pessoas é sempre um grande desafio, que é encarado de uma forma muito mais leve quando sabemos quais são nossos pontos fortes e pontos fracos.
  • Trabalhar em empresas menores nos traz uma maturidade profissional muito maior do que as multinacionais famosas. Principalmente porque permite um olhar multidisciplinar, uma capacidade de resolução maior e se tem mais autonomia, apesar da gestão geralmente ser centralizadora.
  • Se relacione com pessoas que sabem mais do que você e permita-se aprender com elas! Suas chances de crescimento são muito maiores quando nos aproximamos de pessoas que compartilham conhecimento. Fidelize essas pessoas e crie relacionamentos verdadeiros. Sem dúvida essas pessoas farão parte da sua história e você vai lembrar-se delas muitas vezes ainda!

Espero que essas dicas possam ajudar em seu desenvolvimento e que em sua jornada de autoconhecimento muitas realizações sejam concretizadas!

Beijos e Sucesso sempre!

Pri Biella

cropped-simbolo_dourado.png

 

Anúncios

Empresária larga carreira e fatura com delivery e ‘test drive’ de lingerie

A empresária Priscila Biella, 31, deixou o cargo de gerente de marketing em uma empresa de tecnologia para apostar no negócio próprio, uma loja virtual de lingerie, moda praia e acessórios que envia as peças para as clientes experimentarem antes da compra. Com isso, ela diz vender mais, e chega a faturar R$ 25 mil ao mês. O lucro não foi divulgado.

“É importante que a cliente conheça o material, veja o caimento do produto. Isso diminui as barreiras para a compra. Sutiã tem muitas variações, precisa estar bem ajustado na taça, nas costas, nos ombros”, afirma Biella.

Só não é permitido experimentar as calcinhas, por uma questão de higiene. Segundo a empresária, isso não é empecilho para as vendas. “A confiança das clientes até aumenta, pois sabem que ninguém vestiu aquela calcinha antes. É uma peça muito íntima”, diz Biella.

Investimento inicial foi de R$ 15 mil
O site Biellíssima foi lançado no início de 2015, com investimento inicial de R$ 15 mil. As lingeries são o carro-chefe, mas, no verão, crescem as vendas dos itens de moda praia, segundo a empresária. Os acessórios, como bolsas e joias, não são tão representativas nas vendas, de acordo com Biella, mas ajudam a compor kits de presente.

As vendas online do site e o envio antecipado de peças para prova atendem a todo o Brasil. Os produtos são de marcas famosas, como Hope, Valisere, Salinas e Ellus. Os preços variam de R$ 30 (calcinha) a R$ 1.436,10 (corrente com pingente em ouro). O público-alvo são mulheres das classes A e B.

Prova de graça
Na capital paulista, o “test drive” de peças é gratuito. Para experimentá-las, a cliente, antes da compra, precisa entrar em contato com a empresa por e-mail, Whatsapp ou telefone e informar as peças de que gostou. A Biellíssima envia os produtos escolhidos e outros similares. Não há custo para a cliente mesmo que ela não compre nada.

A própria empresária ou uma de suas vendedoras vai até a casa da cliente, em um horário marcado, para apresentar os produtos. Neste caso, a cliente prova e escolhe na hora o que vai comprar. Fora da capital paulista, a interessada recebe somente as peças, fica com elas por dois ou três dias e devolve as que não vai comprar, arcando com os custos de envio pelos Correios.

Chá de lingeries para noivas
Outra estratégia da empresária para conquistar clientes para a loja virtual é realizar encontros em salões de beleza e clínicas de estética, uma prática mais antiga, mas que tem funcionado. “Hoje, as vendas são bem equilibradas, metade na loja virtual e metade nos eventos. Mas o objetivo dos eventos é impulsionar o site e divulgar a marca”, diz a empresária.

Recentemente, o Biellíssima  passou a oferecer também a organização de chás de lingeries para noivas. O serviço custa a partir de R$ 700. Outra aposta é a elaboração de kits de presentes e vendas consultivas de peças femininas para o público masculino.

“Cerca de 10% das minhas vendas são para homens que querem presentear, e eles precisam de ajuda na hora da escolha. A vantagem é que é um público fiel. Quando eles acertam no primeiro presente, voltam para comprar mais”, afirma.

Estratégia não é nova, diz professor
Segundo Sergio Seloti Junior, professor de empreendedorismo e novos negócios da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a estratégia adotada por Biella não é nova, mas funciona. “Quando o cliente está com a peça na mão, a propensão a devolvê-la diminui. Esse modelo já era usado pelas vendedoras de potes plásticos nos anos 90.”

Ele diz que, enquanto o negócio for pequeno, é mais fácil administrar eventuais perdas. No entanto, a empresa que quiser crescer precisará adaptar o modelo, deixando-o menos dependente da proprietária. “Ela pode montar uma equipe interna de vendas para fazer as visitas ou apostar em representantes, como faz a marca de cosméticos Mary Kay”, afirma.

Onde encontrar: 
Biellíssima: www.biellissima.com.br

Por Larissa Coldibeli

uol

Fonte: UOL – Economia

Empreendedora larga carreira para criar site de lingeries

São Paulo – Priscila Biella teve coragem de fazer o que muita gente sonha: ela largou uma carreira em ascensão numa grande empresa para criar o seu próprio negócio num setor que sempre foi do seu interesse: a moda.

“Eu nunca trabalhei com moda, mas sempre estive ligada. Não perco uma São Paulo Fashion Week”, conta. A ideia para o seu voo solo veio justamente da observação deste universo. “Percebi que a lingerie estava ganhando mais destaque e pensei que essa seria uma boa oportunidade”, afirma.

Foi assim que nasceu a Biellíssima, negócio que vende lingeries e roupas de praia pela internet e está no mercado desde abril de 2015. Segundo Priscila, a seleção das peças e o atendimento personalizado são os grandes diferenciais do e-commerce. “Se a cliente não quiser comprar pela internet, ela pode entrar em contato e nós vamos encontrá-la”, afirma.

Priscila conta que sempre teve o sonho de ser dona do seu próprio negócio. Quando montou a ideia da Biellíssima, tomou coragem e largou o emprego. “Eu tinha um cargo com muitas responsabilidades na empresa, trabalhava muitas horas por dia, seria impossível conciliar”, afirma. Para começar o e-commerce, ela investiu 15 mil reais e tem reinvestido no negócio desde então.

Além de mulheres em busca de novidades, a Biellíssima tem atendido outro tipo de público: homens que querem presentear suas companheiras. Segundo Priscila, eles já são cerca de 10% dos clientes da Biellíssima. “Nós fazemos uma consultoria para ajudá-lo a escolher um modelo que tenha mais a cara da presenteada. E quando ele faz sua escolha, montamos um kit personalizado com alguns mimos para ela”, explica.

Outra novidade da Biellíssima são os bazares – eventos presenciais em que as clientes têm a possibilidade de conhecer e comprar os produtos da loja. Com essas iniciativas, o negócio esperar faturar 500 mil reais até abril de 2016. Atualmente, a Biellíssima tem tido cerca de 100 vendas por mês, com ticket médio de 250 reais.

Agora, a empreendedora pretende ampliar o negócio para fazer o faturamento crescer. Dentre os planos estão a renovação da página na internet e a ampliação dos bazares presenciais. A ideia é contar com parceiras em diversos locais do país para realizar os eventos. “Percebo que uma lingerie bonita faz com que a mulher e sinta melhor, com mais autoestima. Isso me fascina”, conclui.

Por: Mariana Desidério

Revista-Exame

Fonte:  Exame.com

Jornalista deixa carreira para criar e-commerce de lingeries

Você abandonaria seu emprego e sua carreira em um momento de crise econômica para investir no sonho de ter o próprio negócio? Pois foi o que fez Priscila Biella. Formada em jornalismo, ela trabalhou por 12 anos com comunicação e marketing no ramo corporativo, mas jogou tudo para o alto em outubro do ano passado para criar o e-commerce de lingeries Biellíssima.

“Eu estava crescendo na área, tinha um bom trabalho e gostava das pessoas. Porém, senti que faltava um pouco mais de desafio”, revela. Assim, ela começou a amadurecer a ideia de abrir a própria empresa, e passou a estudar o mercado para encontrar uma área para investir. Acabou se interessando pelo segmento de roupas íntimas.

“A maioria das lojas on-line de lingeries está voltada para um apelo mais sensual. Porém, existem mulheres de todos os tipos, e nem todas se sentem à vontade de comprar nesse ambiente. Vi que ali havia uma oportunidade para explorar algo mais sutil”, recorda.

Com isso em mente, ela resolveu deixar a segurança do seu emprego formal em outubro de 2014, mesmo com o cenário de crise que se desenhava no país. “Ponderei bastante sobre o momento, pois sabia que a situação da economia não era boa. Por outro lado, eu tinha noção que as coisas iam ficar caras, e muitas pessoas das classes A e B se voltariam para produtos nacionais de qualidade”, afirma.

Para financiar a abertura do Biellíssima, Priscila usou suas economias e o dinheiro da rescisão do emprego. Porém, como ela não dispunha de um capital muito grande, acabou optando pelo modelo de e-commerce, que demanda um investimento inicial menor e não fica restrito apenas à região em que o negócio está instalado.

“Tenho usado muitas coisas da minha experiência profissional para administrar a Biellíssima, como a capacidade de negociar preços e condições de pagamento, e a preocupação com o relacionamento com clientes.”

Busca por diferenciais 
Outra lição que ela trouxe de sua carreira no mundo da comunicação foi a importância de investir em diferenciais para se destacar da concorrência. Graças a isso, ela apostou em um programa de fidelidade e criou o chá de lingerie.

“É uma opção voltada para noivas que querem realizar um chá de cozinha mais descontraído. Ajudamos na organização do evento, na confecção dos convites, na preparação das comidas e nas brincadeiras. Isso vem a calhar com a mudança no perfil das mulheres, que antes casavam para cuidar da casa e hoje são independentes.”

Para completar, os clientes da região metropolitana de São Paulo contam com a opção de receber os produtos adquiridos no mesmo dia, caso fechem a compra até o meio-dia. “Muitas pessoas recorrem à loja física pela possibilidade de ter o produto na hora. Com a facilidade que oferecemos, minimizamos essa desvantagem”.

Sobre a decisão de mudar sua trajetória profissional radicalmente, Priscila afirma que não se arrepende, apesar de todas as dificuldades e responsabilidades que surgem quando se é dono do próprio negócio. “Não é fácil, você tem de abrir mão de uma série de coisas, se desgasta, mas é uma experiência extremamente libertadora. Aprendi em um ano o que levaria muito mais tempo no mundo corporativo para aprender”, encerra.

Terra-logo_biellissima-na-midia

Fonte: Portal Terra – Economia

Quer entrar no e-commerce? Escolha bem o seu nicho de mercado e posicione o seu negócio

A jornalista Priscila Biella exerceu sua profissão durante 12 anos, mas sempre desejou ser uma empreendedora. Aos 30 anos, em plena ascensão profissional, com maturidade, muita coragem e pouco dinheiro, decidiu investir no sonho de ter seu próprio negócio. “Deixei meu emprego, saí da zona de conforto e coloquei foco total neste projeto”, conta. Com um investimento inicial bem pequeno, Priscila elaborou um plano de negócios sólido, com metas agressivas.

Lançada há apenas 8 meses, sua loja virtual Biellíssima oferece lingeries, biquínis e acessórios femininos e pretende fechar o primeiro ano com o faturamento de R$ 1 milhão. “O mais importante na concepção do negócio é ter uma boa ideia, avaliar bem o mercado e acreditar plenamente que dará certo. Desafios existem, e muitos. Somente essa determinação e perseverança trazem a força que o empreendimento precisa para prosperar”, diz Priscila. Aqui, ela conta sua experiência com e-commerce.

Como decidiu entrar no jogo do e-commerce?
O mercado de moda feminina é muito vasto, e percebi que havia espaço para criar um e-commerce especializado em lingeries e acessórios sofisticados. As grandes marcas já possuem suas lojas virtuais, mas a ideia foi justamente reunir diferentes marcas em uma única loja online, trabalhando com uma seleção exclusiva.

Como se destacar no meio de tantas lojas virtuais? 
Inovar, sempre. Para me destacar dos concorrentes, decidi levar a loja até a cliente. Ofereço à consumidora a praticidade da compra online, com a possibilidade de experimentar as peças antes de fechar o pedido, um serviço personalizado e exclusivo. A cliente escolhe no site as peças, indica quais lhe interessaram e agendamos o envio, de acordo com a sua preferência. No modelo delivery, a loja virtual atende toda a cidade de São Paulo. Nas demais regiões do País as entregas de mercadorias são feitas via Sedex.

Como você se planejou? Quais estratégias você aplicou para atingir o seu nicho de mercado?
Minha principal estratégia foi escolher um mercado com o qual eu me identificava. Para vender, seja online ou em loja física, você precisa conhecer o produto, ter facilidade para explorar seu universo e fazer uma venda consultiva. Conversei com algumas amigas antes, mapeei oportunidades com várias mulheres e também compartilhei a ideia com muitos homens. Ambos os públicos deram um feedback positivo e me estimularam a seguir com o business plan.  Levantei custos, diferenciais, coloquei tudo no papel e, enfim, coloquei o plano em prática.

Os investimentos online são realmente mais acessíveis quando comparados com outros fora da esfera digital? 
Sim. É possível iniciar uma loja online com baixo investimento, investi inicialmente R$ 25 mil na Biellíssima. Mas é preciso fazer uma análise de mercado antes, saber onde está pisando, ter em mente onde se deseja chegar e planejar os próximos passos. Conforme o negócio vai tomando corpo, as exigências tecnológicas, gerenciais e orçamentárias vão requerendo mais atenção e dedicação. Estruturar um e-commerce parece simples, mas é um universo particular que exige alguns cuidados, como disponibilidade de compra online 24h e controle de estoque, que precisa ser impecável. O prazo de entrega (processo logístico) é outro ponto importante, porque a forma como esse produto chega na casa da cliente e o cumprimento do prazo prometido fazem parte da experiência com a marca.  No meu ponto de vista, escolher um e-commerce ou uma loja física é uma questão de estratégia, já que ambos requerem investimentos constantes. Na loja online é essencial investir em tecnologia, gestão e otimização de processos, enquanto na loja física a preocupação é principalmente com recursos humanos, ponto comercial e o visual.

Quais estratégias de marketing digital você usa para conectar-se ao seu público-alvo?  
Trabalhamos com marketing de performance para impactar novos clientes, como links patrocinados, e-mail marketing e também estamos criando um blog que vai complementar esse trabalho com o marketing de conteúdo. Para clientes da base, trabalhamos ações com eventos (bazares e workshops), e-mail marketing, grupo no WhatsApp, clube de descontos, programa de fidelização. Temos, por exemplo, o “Biellíssima Club”, nosso programa de fidelização, onde cada compra gera uma pontuação para cada cliente. A cada 50 pontos acumulados ela automaticamente ganha R$ 50,00 como recompensa para novas compras em nossa loja. Tem uma aderência muito bacana.

Quais seus conselhos para a empreendedora manter-se atualizada, trazer inovações para seus consumidores e posicionar-se à frente de seus concorrentes? 
Acompanhar o ritmo da internet é realmente importante para quem deseja abrir um e-commerce. Precisa estar com o radar ligado o tempo todo e observando: o que o cliente está buscando, o que a concorrência está oferecendo, o que o mercado está proporcionando de oportunidades e como sua oferta está se encaixando nesse universo. Uma grande dica é ter um posicionamento claro para os clientes e para o mercado.

Como você explora a força das redes sociais em benefício da sua empresa?
As redes sociais podem proporcionar uma grande repercussão para o negócio. Mas, mais importante do que estar presente é ter uma comunicação alinhada, estratégica e transparente. Saber onde seus consumidores estão e como eles compram é o mais importante. A mídia social proporciona uma audiência importante e nos permite compreender o comportamento de compra de cada cliente.

O consumidor brasileiro ainda tem medo de comprar pela internet por causa das fraudes. Quais suas estratégias para oferecer proteção contra este risco? 
Atendimento e acolhimento. A forma que nos comunicamos com as nossas clientes e maneira que nos relacionamos com elas transmitem a segurança que o consumidor precisa para se sentir confortável e comprar com segurança.

Que dica você daria para quem quiser abrir um negócio na internet?
O principal desafio é conquistar o seu nicho, criar algo realmente novo e que faça sentido para o cliente final.  Na internet se encontra praticamente de tudo, e para se destacar nesse ambiente online é necessária muita pesquisa, assim como estar constantemente atento, analisando o que tem de novidade e o que a concorrência está praticando. O ambiente online é extremamente dinâmico e para se destacar é preciso acompanhar esse ritmo.

E para quem tem uma loja física e deseja começar a operação digital?
Prepare-se muito bem. O ambiente online é bem peculiar, porque estamos falando da venda através do autosserviço, que exige mais tecnologia, disponibilidade, controle de estoque e logística de entrega, por exemplo.

Qual foi o seu maior erro?
Não tivemos ainda uma dificuldade significativa, mas algo que realmente nos fez ampliar os esforços e repensar algumas estratégias, é a crise que o país está vivendo. As vendas no varejo estão caindo, o consumidor está com o orçamento mais apertado. Não sentimos esse impacto, mas reforçamos o marketing e a força de vendas.

E o seu maior acerto?
A escolha do segmento e o posicionamento do meu negócio.

Quais as principais diferenças entre o comportamento do consumidor na Internet e na loja física?
O consumidor compra mais impulsivamente em uma loja física do que em uma loja online. Principalmente porque a internet oferece comparadores de preço e rankings e, normalmente, a cliente divide a atenção da compra online com outras atividades, como leitura de algum conteúdo ou conversa ao telefone, que dispersam sua atenção.

Que livro ou site lhe ajudaram a ser uma empreendedora digital melhor?
Empreendedorismo:

  • Plano de Negócios em 40 Lições
    (Ed. Saraiva / Autores: Cândido Borges; Hashimoto, Marcos)
  • Métricas de Marketing – O Guia Definitivo de Avaliação de Desempenho do Marketing
    (Ed. 2012 / Autores: Bendle, Neil T., Farris, Paul W., Pfeifer, Phillip E.)

    Para saber mais:
    Biellíssima: www.biellissima.com.br
    O que faz: E-commerce de Lingeries e Acessórios Femininos
    Sócio(s): Priscila Biella
    Funcionários: 5
    Sede: São Paulo/SP.
    Início das atividades: 15/12/2014
    Investimento inicial: R$ 25.000,00
    Faturamento: R$ 15 mil/mês
    Contato: contato@biellissima.com.br | priscilabiella@biellissima.com.br

Fonte: Portal Mulher Empreendedora e Projeto Draft

Empreendedora larga carreira e cria e-commerce feminino

A Biellíssima possui um sistema chamado “Loja Delivery”, em que os consumidores recebem os produtos para testar antes de comprar

Depois de 12 anos na área de comunicação, a jornalista Priscila Biella resolveu largar a carreira para empreender. “Tinha um emprego fixo, confortável. Era gerente de marketing com uma carreira estabilizada, mas resolvi abrir mão disso tudo”, diz. A empreendedora buscou áreas de interesse e criou o e-commerce Biellíssima, que vende roupas e acessórios. “Montei com muito carinho. Quero que a mulher encontre na loja algo que vai amar”, afirma.

No ar desde abril de 2015, Priscila diz que começou a divulgação quase um ano antes. “Fomos estimulando o mercado através das redes sociais até que o e-commerce ficasse pronto.” O principal diferencial da marca é um sistema chamado “loja delivery”. A ideia é levar os produtos à casa dos consumidores – sem a necessidade de vendê-los. “Ao invés dos clientes irem ao shopping, nós vamos até ele”, diz.

Segundo Priscila, o conceito do serviço especializado surgiu com a crise em que o país se encontra. “Nossas clientes acabam economizando com o estacionamento e combustível, por exemplo.” A empresária também defende que essa ação divulga a marca e reforça a relação entre produto e consumidor.

Estreitar o relacionamento com o cliente é também o objetivo de outro serviço oferecido, o “Chá de Lingerie”. “O evento inclui brincadeiras, entrega de presentes (lingeries), comes, bebes e música”, afirma. As clientes interessadas podem fazer um orçamento pelo site.

Quem compra

Em média, os consumidores gastam R$ 250,00 por pedido – Priscila diz que seu público-alvo está mais concentrado nas classes A e B. “São mulheres que desejam excelência no atendimento e que preferem ter uma experiência de compra personalizada.”
Além das lingeries, site aposta em eventos para noivas!
Atualmente, os produtos que fazem mais sucesso entre as clientes da Bielíssima são as bolsas e lingeries. “A lingerie tem uma magia, ela dá um “empowerment” para a mulher”, afirma a empreendedora. Os chás também têm gerado uma boa renda para a loja. “É uma tendência, a mulher moderna está trocando o tradicional chá de cozinha ou chá de panela por serviços como o nosso”, diz.

Investindo em um sonho

As ações parecem estar dando certo. Com a Biellíssima, Priscila tem faturado de R$ 15 mil a R$ 20 mil por mês. “Comecei achando que ia ser super pequeno, mas o negócio tomou outra proporção. Hoje, quero fazer R$ 1 milhão em um ano”, afirma.

Para dar conta dos pedidos e alcançar essa meta, a Bielíssima conta com cinco funcionários e um grupo de parceiros. “Essa parceria cria uma rede importante de recomendações”, diz Priscila.

Outro fator que motiva a jovem empreendedora a se dedicar tanto é o sonho de trabalhar com crianças. Há anos, ela nutre o desejo de abrir um novo conceito de creche, mais focado no entretenimento e desenvolvimento dos pequenos – aumentando a relação entre pais e filhos. “Toda semana tiro um tempinho para cuidar disso em paralelo”, diz.

Mas Priscila garante que a Biellíssima seguirá funcionando. “Quero realizar meu sonho e continuar fazendo sucesso com a loja”, conclui.

Por Priscila Zuini com Rennan A. Julio – PEGN

logo-pegn-biellissima-na-midia

Fonte: PEGN – Pequenas Empresas & Grandes Negócios